Arquivo | agosto 2013

Organização de Documentos

Contas, documentos, fotos, cartões…é tanto papel para guardar que a gente se vê atulhado por uma montanha deles.

Organizar chega a ser uma questão de sobrevivência. Quem nunca precisou de um documento e teve que virar a casa do avesso para encontrar? E aquela foto que você quis mostrar naquele dia, onde estará?

Particularmente, sempre tive uma mente metódica e por consequência , as coisas também, então deixo aqui algumas dicas que podem ajudar você no dia-a-dia:

1. Tire um espaço, um armário ou até um cômodo da casa para todos os documentos, nada de espalhar em várias gavetas e “cantinhos” pela casa toda.

2. Utilize-se de “Caixas Arquivo” ou “Pastas AZ” para organizar separadamente cada tipo de documento, desta forma quando precisar da “conta de energia elétrica”, por exemplo, saberá o ponto certo para encontrar. Identifique bem sua caixa ou sua pasta para que outras pessoas da casa também possam localizar facilmente.

Organize-se!
Organize-se!

3. Para as fotos, quando impressas, geralmente utilizo pastas onde posso arquivá-las dentro de  “Envelopes Sacos Plásticos A4” e organizo cronologicamente. Vai da sua criatividade: colar as fotos, escrever abaixo delas, ou simplesmente guardá-las ali.

Organize-se!

Com os arquivos digitais, proceda de forma semelhante, separando as pastas por evento ou ano e nunca esqueça de um bom backup em HD externo ou em “nuvem”.

4. Várias contas e documentos tem prazo de validade, alguns você pode eliminar após um tempo exigindo seu Recibo de Quitação conforme Lei Federal nº 12.007, de 29 de julho de 2009. É só consultar no site da empresa desejada e imprimir ou pessoalmente nas agências de atendimento.

Demais documentos, os “permanentes”, devem ser arquivados de forma ainda mais segura. Ao escolher o local, observe para evitar umidade e incidência de insetos. De vez enquanto vá lá no seu “arquivo morto”, ventile e ilumine o local para prolongar a vida de sua papelada.

O Site Arquivar, fornece a seguinte tabela de controle pessoal:

1.1 PAGAMENTO DE TRIBUTOS

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

1.1.1 Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e seu respectivo DARF. 5 anos, contados a partir do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado. Os comprovantes devem ser mantidos durante os 5 anos subseqüentes ao da respectiva declaração, ou seja, 6 anos (Código Tributário Nacional, Lei 5.172/66, art. 173, I). O mesmo prazo aplica-se aos comprovantes utilizados na declaração do imposto de Renda.
1.1.2 Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e seu respectivo DARM. 5 anos, contados a partir do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado.

10 anos.

Os comprovantes devem ser mantidos durante os 5 anos subseqüentes ao da respectiva cobrança (Código Tributário Nacional, Lei 5.172/66, art. 173, I). Depois deste prazo, a dívida prescreve e a Prefeitura não pode mais cobrá-la, porém, para efeito de comprovação de propriedade, é necessário manter o comprovante por 10 anos.
1.1.3 Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). 5 anos, contados a partir do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido efetuado. Os comprovantes devem ser mantidos durante os 5 anos subseqüentes ao da respectiva cobrança (Código Tributário Nacional, Lei 5.172/66, art. 173, I). Na transferência de veículo, o comprador deve solicitar os últimos quatro anos, para evitar fraudes, uma vez que o vendedor pode apresentar o último pagamento, sem que os anteriores estejam pagos.
1.2 PAGAMENTO DE CONTAS DE CONSUMO (ÁGUA, LUZ, TELEFONE)

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

1.2.1 Comprovante de pagamento de conta de água, luz, telefone (inclusive o celular). 90 dias.

5 anos.

Por sua natureza de relação de consumo, o prazo é definido pelo Código de Defesa do Consumidor, Lei. 8.078/90, art. 26, II. Em caso de necessidade de questionamento de valores de tributos, seguir o Código Tributário Nacional, Lei 5.172/66, art. 173, I). Manter as contas também serve como garantia de manutenção dos serviços. Caso o fornecedor alegue que uma conta antiga não tenha sido paga e o consumidor não disponha mais de comprovante, poderá pedir para que o fornecedor prove que a conta não foi paga. A comprovação também pode ser feita por extrato bancário, em caso de débito automático.
1.3 PAGAMENTO DE ALUGUEL E CONDOMÍNIO

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

1.3.1 Recibo de pagamento de aluguel. 3 anos. Ver Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, § 3º, I.
1.3.2 Recibo de pagamento de condomínio. 5 anos. Ver Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, § 5º, I. É possível solicitar à administradora do condomínio, periodicamente, uma declaração de que não existem débitos pendentes. Assim, é mantido apenas um documento arquivado.
1.4 COMPRA (IMÓVEIS, BENS DURÁVEIS E NÃO-DURÁVEIS)
Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

1.4.1 Recibo dos pagamentos das parcelas de imóvel. Até que seja feito o registro da escritura no Cartório de Registros de Imóveis.
1.4.2 Nota fiscal de compra de bem durável. Prazo de garantia.

Vida útil do produto.

Ainda que o prazo de garantia dado pelo fabricante tenha se esgotado, alguns defeitos que não ocorrem pelo desgaste natural do bem podem surgir após a garantia, o chamado “vício oculto”. Exemplo disso é o “recall” de automóveis. Ver Código de Defesa do Consumidor, Lei 8.078/90, art. 26, § 3°.
1.4.3 Nota fiscal de produtos e serviços não-duráveis. 30 dias. Os alimentos são exemplo desta categoria, e a nota deve ser preservada pelo prazo da garantia legal de 30 dias (Código de Defesa do Consumidor, Lei 8.078/90, art. 26, I).
1.5 SERVIÇOS BANCÁRIOS E FINANCEIROS

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

1.5.1 Comprovante de depósito bancário. Não especificado. Deve-se guardar até comprovação do crédito em conta.
1.5.2 Extrato bancário. 5 anos. Para comprovação de pagamentos diversos (cf. CC, CTN); de salários, na falta de holerite (cf. CLT); de movimentação financeira (fisco, por exemplo).
1.5.3 Fatura de cartão de crédito. 3 anos, se houver parcelamento, com relação à discussão dos juros aplicados.

5 anos, com relação a eventuais cobranças.

Para faturas de cartão de crédito não há determinação legal. A Associação Nacional dos Usuários de Cartão de Crédito recomenda que elas sejam mantidas pelo mínimo de um ano, por cautela, para que o consumidor se previna contra eventuais lançamentos indevidos e/ou cobrança em duplicidade por parte das administradoras de cartões de crédito. É importante ressaltar que a pretensão de cobrança de dívidas líquidas constantes de instrumento público ou particular (que seria o caso dos cartões, pois o consumidor assina um contrato) prescreve em 5 anos (Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206).
1.6 CONTAS E RECIBOS GERAIS

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

1.6.1 Carnê e/ou comprovante de pagamento de consórcio. Até a entrega da carta de liberação da alienação fiduciária.
1.6.2 Comprovante de pagamento de mensalidades escolares. 5 anos.

Guardar de preferência até o término do curso, após receber o certificado ou diploma.

Obedece ao prazo previsto no Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, § 5º, I. Quando utilizado para efeito de abatimento em Imposto de Renda, deverá ser arquivado por 6 anos, juntamente com a Declaração.
1.6.3 Comprovante de pagamento de convênio médico. 5 anos. Obedece ao prazo previsto no Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, § 5º, I. Quando utilizado para efeito de abatimento em Imposto de Renda, deverá ser arquivado por 6 anos, juntamente com a Declaração.
1.6.4 Comprovante de pagamento de TV por assinatura. 5 anos. Obedece ao prazo previsto no Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, § 5º, I.
1.6.5 Comprovante de pagamento de honorários de profissionais liberais. 5 anos após a conclusão dos serviços, ou após cessação do contrato ou mandato. Obedece ao prazo previsto no Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, § 5º, II.
1.6.6 Comprovante de hospedagem. 1 ano. Cobranças referentes à hospedagem e alimentação em hotéis obedecem ao prazo previsto no Código Civil, Lei 10.406/02, art. 206, §1º, I.
2. VIDA TRABALHISTA

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

2.1 Cartão do Programa de Integração Social (PIS). Permanente.
2.2 Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Permanente.
2.3 Extrato da conta vinculada do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). 2 meses. O trabalhador pode conferir a regularidade dos depósitos em sua conta vinculada através de extrato enviado à sua casa de 2 em 2 meses. Se não estiver recebendo o extrato, o trabalhador deverá informar seu endereço completo em uma agência da CAIXA ou pela Internet, no site.
2.4 Holerite/recibo de pagamento de salário. Aposentadoria. Guardar até a autorização de concessão do benefício, para fazer prova de tempo de serviço e de contribuição.
2.5 Guia de recolhimento previdenciário como autônomo. Aposentadoria. Guardar até a autorização de concessão do benefício, para fazer prova do tempo de serviço e de contribuição.
2.6 Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho (TRCT). Aposentadoria. Guardar até a autorização de concessão do benefício, para fazer prova do tempo de serviço e contribuição.
3. PATRIMÔNIO

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

3.1 Escritura de imóvel. Permanente. Comprova o direito de propriedade do bem. Em caso de venda, deve ser transferido ao novo proprietário.
3.2 Certificado de Registro e Licenciamento Anual (CRLV). 1 ano. Documento de porte obrigatório para o condutor do veículo, sob pena de multa e apreensão deste (Código de Trânsito Brasileiro, Lei. 9.503/97, art. 230, V). Pode ser substituído por uma cópia autenticada pela repartição de trânsito competente.
3.3 Apólice de seguro (de vida, de residência, de saúde, de veículo etc.). 1 ano, após o final da vigência. O prazo é contado a partir da data de citação pelo terceiro prejudicado ou da indenização feita a este, no caso de responsabilidade civil, ou do fato gerador da pretensão, nos demais casos. Ver Código Civil, Lei. 10.406/02, art. 206, § 1º, II.
4. CIDADANIA

Documento

Prazo de Guarda

Prazo de Precaução

Observações

Título de Eleitor. Permanente. Se o titular deixar de votar ou justificar por três votações consecutivas, o título será cancelado. Cada turno é considerado uma votação.
Se o titular deixar de votar ou justificar por três votações consecutivas, o título será cancelado. Cada turno é considerado uma votação. Manter os comprovantes dos dois últimos sufrágios (inclusive dos turnos, se houver). Em caso de perda dos comprovantes, é possível solicitar a qualquer Cartório Eleitoral uma Certidão de Quitação Eleitoral, que será emitida na hora, devido ao acesso direto ao Cadastro Geral de Eleitores ou no site oficial.
4.3 Certidão de nascimento. Permanente. Possui validade até a certidão de casamento.
4.4 Certidão de casamento. Permanente. Possui validade até a certidão de óbito.
4.5 Certidão de óbito. Permanente.

Organizar é sempre o melhor caminho para poupar tempo e até dinheiro, evitando cobranças indevidas quando você não tem mais o comprovante para apresentar.

Ao iniciar, pode parecer complicado separar tudo, mas uma vez realizado este processo, manter nos meses seguintes se torna rotina prática e rápida. Vale a pena!

Unir Imagens em *.PDF – Alternativa

Quem nunca tentou ou fez um arquivo só com imagens em *.pdf ? Arquivos nesta modalidade são práticos e não podem ser alterados tão facilmente, além de leves.

Há vários programas para criá-los e hoje vou postar uma alternativa rápida para iniciantes criarem um arquivo deste, que pode ser usado em alguma apresentação, unir fotos de um evento ou o que a necessidade mandar.

* Todas as imagens postadas aqui podem ser aumentadas clicando sobre elas, então se algo não ficar visível, é só clicar para visualizar melhor.

1. Veja se sua imagem é uma *.jpg (*jpeg) que é um arquivo leve e muito utilizado e se está na posição correta:

    * Para abrir com o “Visualizador de Imagens do Windows”, vá na sua pasta de imagens, clique com o botão direito do seu mouse sobre a imagem desejada, escolha a opção “Abrir Com”, localize “Visualizador de Imagens do Windows” e clique sobre ela. É o programa mais rápido e leve, quando você girar a imagem e for com a seta para a próxima, a última posição será salva automaticamente, facilitando seu trabalho.

Unir Imagens em *.PDF

2. Opte por nomear os arquivos numa sequência numérica ou alfanumérica para facilitar seu trabalho e organize todas as imagens em uma única pasta, tornando o processo mais ágil. Neste exemplo, nomeei os arquivos como: “tuto 01”, “tuto 02”.

3. Baixe o programa que está neste link: JPEGtoPDF

4. O programa está zipado, abra a pasta com 2 cliques, depois mais 2 cliques sobre o programa e mais um clique em “Executar”.

5. Clique em “Add Files”, busque as imagens que deseja unir em *.pdf e adicione:

Unir Imagens em *.PDF

6. Observe se as imagens ficaram na sequência desejada, caso não, é só clicar com a seta sobre o nome do arquivo de imagem, segurar e mover para cima ou para baixo:

Unir Imagens em *.PDF

7. Escolha o local onde deseja salvar o arquivo em “Output PDF Files”:

Unir Imagens em *.PDF

9. Escolha o nome do arquivo em “Single PDF File named”:

Unir Imagens em *.PDF

Você vai ter abaixo outras opções para especificar margens da página e tamanho da imagem, eu utilizo exatamente as que estão marcadas neste tutorial, mas utilize conforme sua necessidade. “Brinque” um pouco para ver o resultado, salvando o primeiro arquivo que criar várias vezes para ver como fica melhor.

10. Clique em “Save PDF” e dê “Ok” na telinha que aparecerá:

Unir Imagens em *.PDF

Prontinho! Você tem suas imagens unidas em um Arquivo *.PDF:

Unir Imagens em *.PDF

Pode parecer complicado na primeira vez, mas é super simples e rápido, bem mais rápido, por exemplo, do que inserir todas as imagens no Word e depois salvar em *.PDF.

Este programa foi testado e aprovado em Windows 7 e espero que auxilie quem precisar.

Até a próxima!

Apagar o Passado

“A vida só pode ser compreendida, olhando-se para trás; mas só pode ser vivida, olhando-se para frente.”
Soren Kierkergaard

Em 1996, em um desfile para garota do colégio, esta foi a frase que eu escolhi para me representar.
1996? Sim, 16 anos, um mundo de sonhos, de planos, de fantasias e de muito chão pela frente.
 
A vida foi passando, como tinha que ser, as coisas foram acontecendo, pessoas chegando, pessoas indo embora e muito desta história ficou registrado em dezenas de agendas e diários que me acompanharam desde a infância.
 
Meu Passado
 
 
Ontem foi um dia para recordar, um dia para folhear páginas, reviver alguns momentos e sentir-me fazendo a coisa certa: jogando fora todas elas, para sempre!
 
Apagar o passado não é possível, mas ele pode ficar no lugar dele, lá no momento em que aconteceu, até porque há dois problemas com o passado: se foi bom a gente sente saudade e pode se entristecer por ter passado; se foi ruim a gente pode sofrer duas vezes. O que a gente tinha que aprender com ele se reflete no que a gente é hoje, não é preciso “revirá-lo.
 
Não foi fácil desfazer-me de minha própria história, mas era pior ler o que passou, “incorporar” novamente tempos antigos, ressuscitar sentimentos, lugares, pessoas e até meus animais de estimação que já se foram.
 
Ficam as fotos, a memória, tantos objetos com história pela casa; ficam os que ficaram para relembrar naquelas conversas saudosistas que acabam acontecendo uma vez ou outra.
 
Estão agora gavetas vazias esperando por novas coisas, virão novos dias que já não são mais anotados em agendas ou diários, mas em Calendário do Windows Live para serem acessados friamente de qualquer dispositivo móvel, protegidos por senha e não mais por cadeados ou cofres.
 
Ontem senti-me como a personagem da atriz Malu Mader na novela “Ferra Radical” se despedindo de seu diário.
 
Hoje sinto-me mais livre e quem sabe com muitas boas histórias para escrever na memória!

Carregador Portátil para Celular

Quem nunca ficou sem o celular na hora que mais precisou que atire a primeira bateria!

Até que os Smartphones não tenham bateria de duração satisfatória e compatível com os inúmeros serviços que oferecem para que possamos usar tudo o tempo todo sem nos preocupar, a melhor opção é um Carregador de Bateria Portátil como este que estou apresentando:

Power Tube 2200

Power Tube 2200 tem 2200 mAh de potência para auxilar nas horas que não é possível utilizar-se de energia elétrica ou de carregadores portáteis automotivos.  O Nokia Lumia 800 utiliza, por exemplo, 1450mAh, desta forma se você carregá-lo desligado, a Power Tube pode proporcionar mais de uma carga completa, além de ser compatível com praticamente todos os aparelhos/marcas pois possui 11 conectores diferentes que se adaptam também para GPS, MP3 Players, Videogames Portáteis, Câmeras Digitais e muito mais.

Power Tube 2200

É pequeno, fácil de levar no bolso ou na bolsa e nos salva nas horas que mais precisamos. A carga é de 4 à 6 horas via usb no computador e bem menor em tomadas comuns quando você pode utilizar o  próprio carregador do seu celular, afinal todos hoje vem com conexão USB, o que facilita bastante. O ciclo de vida é de 500 cargas e está disponível em várias cores para agradar todos os gostos. Optei pelo meu em dourado.

Para os applemaniacos, ele tem certificação oficial.

Vale a pena pesquisar preço, a Loja Oficial está com promoção mas o produto é comercializado em todas as melhores lojas do país.

Para quem já carrega “o mundo” na bolsa, a necessaire do celular ganha mais um acessório:

Nokia Lumia

Observações na CNH – Fique Atento!

CNH

Nem precisamos comentar quanto ela é necessária e quanto um jovem de 18 anos sonha em possuir este documento precioso .

Hoje quero falar sobre o campo “Observações” da nossa Carteira Nacional de Habilitação.

Antes de 2012, quando você tinha alguma restrição, ela vinha descrita no campo observações como o seguinte exemplo:

CNH

Agora todas as observações são impressas em códigos, então fique atento:

CNH

Dirija com Cuidado

TABELA DE RESTRIÇÕES MÉDICAS – RESOLUÇÃO CONTRAN 425/2012

A – OBRIGATÓRIO O USO DE LENTES CORRETIVAS
B – OBIGATÓRIO O USO DE PRÓTESE AUDITIVA
C – OBRIGATÓRIO O USO DE ACELERADOR À ESQUERDA
D – OBRIGATÓRIO O USO DE VEÍCULO COM TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA
E – OBRIGATÓRIO O USO DE EMPUNHADEIRA/MANOPLA/PÔMO NO VOLANTE
F – OBRIGATÓRIO O USO DE VEÍCULO COM DIREÇÃO HIDRÁULICA
G – OBRIGATÓRIO O USO DE VEÍCULO COM EMBREAGEM MANUAL OU COM AUTOMAÇÃO DE EMBREAGEM OU COM TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA
H – OBRIGATÓRIO O USO DE ACELERADOR E FREIO MANUAL
I – OBRIGATÓRIO O USO DE ADAPTAÇÃO DOS COMANDOS DO PAINEL AO VOLANTE
J – OBRIGATÓRIO O USO DE ADAPTAÇÃO DOS COMANDOS DE PAINEL PARA OS MEMBROS INFERIORES E/OU OUTRAS PARTES DO CORPO
K – OBRIGATÓRIO O USO DE VEÍCULO COM PROLONGAMENTO DA ALAVANCA DE CÂMBIO E/OU ALMOFADAS (FIXAS) DE COMPENSAÇÃO DE ALTURA E/OU PROFUNDIDADE
L – OBRIGATÓRIO O USO DE VEÍCULO COM PROLONGADORES DOS PEDAIS E ELEVAÇÃO DO ASSOALHO E/OU ALMOFADAS FIXAS DE COMPENSAÇÃO DE ALTURA E/OU PROFUNDIDADE
M – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTOCICLETA COM PEDAL DE CÂMBIO ADAPTADO
N – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTOCICLETA COM PEDAL DE FREIO TRAZEIRO ADAPTADO
O – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTOCICLETA COM MANOPLA DE FREIO DIANTEIRO ADAPTADA
P – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTOCICLETA COM MANOPLA DE EMBREAGEM ADAPTADA
Q – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTOCICLETA COM CARRO LATERAL OU TRICICLO
R – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTONETA COM CARRO LATERAL OU TRICICLO
S – OBRIGATÓRIO O USO DE MOTOCICLETA COM AUTOMAÇÃO DE TROCA DE MARCHAS
T – VEDADO (PROIBÍDO) DIRIGIR EM RODOVIAS E VIAS DE TRÂNSITO RÁPIDO
U – VEDADO (PROIBIDO) DIRIGIR APÓS O PÔR-DO-SOL
V – OBRIGATÓRIO O USO DE CAPACETE DE SEGURÂNÇA COM VISEIRA PROTETORA SEM LIMITAÇÃO DE CAMPO VISUAL
W -APOSENTADO POR INVALIDEZ
X – OUTRAS RESTRIÇÕES
Y – SURDO (RESTRIÇÃO IMPRESSA COM X NA CNH)
Z – VISÃO MONOCULAR (RESTRIÇÃO IMPRESSA COM X NA CNH)

Dirija com Cuidado

ATENÇÃO: O condutor que tem algum tipo de restrição impressa na CNH e for pego dirigindo em desacordo com o que diz na CNH será autuado no artigo 162-VI do CTB.
Dirigir veículo: Sem usar lentes corretoras de visão, aparelho auxiliar de audição, de prótese física ou as adaptações do veículo impostas por ocasião da concessão ou da renovação da licença para conduzir:
Infração – Gravíssima (sete pontos na CNH)
Penalidade – Multa R$ 191,54
Medida Administrativa – Retenção do veículo até o saneamento da irregularidade ou apresentação de condutor habilitado.

Procure ficar atualizado para evitar transtornos e vale sempre dizer: dirija com consciência e edução. Você não é o único no trânsito, pequenas gentilezas, um pouco de paciência e muita atenção sempre são bem vindas.

Fonte: http://www.guiatransito.com