Arquivo | fevereiro 2015

Será Que Estamos Vivendo Um Momento Histórico Ou Só Uma Falsa Esperança?

Uma nação exausta com escândalos de corrupção, refém de serviços e repartições públicas decadentes, escravizada por impostos altos e sem esperança no sistema político atual, é iluminada por uma luz no fim do túnel, ou melhor, várias luzes dos faróis dos caminhões.
A frase do cartaz retrata o que vivemos: praticamente tudo que possuímos ou usufruímos em bens e serviços chega de caminhão. O transporte é a ligação de tudo com todos e os dias de paralisação mostram como estes heróis da estrada são fundamentais em nossa vida.
Quando pedem por melhores condições de trabalho, estão pedindo vias decentes para todos nós que transitamos diariamente; quando pedem revisão no valor do combustível, nos disponibilizam produtos e serviços mais baratos; quando pedem valores de fretes dignos, querem dignidade para suas famílias e também as nossas, pois além de caminhoneiros são cidadãos consumidores; quando pedem segurança, é para eles, é para nós todos. 
Podemos, neste momento, com a força do “pessoal do trecho” em pistas fechadas, estarmos abrindo o caminho de mudanças tão necessárias e clamadas pelo povo. 
Chegou a hora, aquela hora que ninguém acreditava que chegaria; aquela hora que todos os revoltados com as urnas têm sua segunda chance de mudança; aquela hora para quem se arrependeu do voto; para quem mais do que quer, precisa de mudanças para trabalhar e viver dignamente.
Estamos vivendo um momento histórico?
E estamos dispostos a pagar o preço?
Eis a questão. Não se faz uma revolução plantando flores, menos ainda fechados no egoísmo que nos conduziu até aqui.
Todos terão perdas, todos terão que pagar o preço da mudança, todos terão que enfrentar com coragem, determinação e principalmente, união.
Será que chegamos neste nível de discernimento ou a classe dos transportadores estão, em vão, lutando com todas a força de seus grandes veículos e motores?
Agora, não é o que cada um quer, mas o que é melhor para todos. Outras mudanças acontecerão em consequência da mudança maior, ou seja, uma limpeza profunda na forma que nosso país está sendo conduzido. 
Penso que os condutores do país estão sem habilitação faz tempo, chegou a hora de mostrarmos, através dos motoristas de caminhão, que somos competentes e honestos o suficiente para criarmos um lugar digno, um lugar onde o trabalho e a justiça sejam o princípio do bem estar e do crescimento do nosso Brasil.
Chega de “fazer de conta”; chega do egoísmo do “para mim está bom”; chega do jeitinho brasileiro; de tirar vantagem em cargos e situações ou pior: de lavar as mãos como se não vivesse aqui.
“Não vamos desistir do Brasil”, da nossa família, do nosso lar.
Preparados? Então chegou a hora e se perdermos esta hora, não reclamemos mais e nos conformemos com a precariedade consumindo nossos dias.

Adubo Alternativo

Já escrevi sobre o reaproveitamento do Coco Verde nesta postagem e agora volto para escrever sobre minha experiência pessoal sobre o assunto.

No vídeo, eu mostro um pouquinho da minha área, onde estou utilizando além da casca do coco verde triturada, também o bagaço de cana, vejam:

O equipamento utilizado para trituração é um Triturador de Cocos Trapp à gasolina:

Falando sobre o equipamento, ele tem suas vantagens e desvantagens: é prático e tritura centenas de cocos por hora, mas também requer muito cuidado e manutenção. Estou tendo uma boa experiência com a Assistência Técnica da Trapp que está me auxiliando e solucionando os problemas que aparecem no decorrer do uso.
O armazenamento está sendo ao ar livre, mas é bom sempre deixar o lado furado virado para baixo para não acumular água. Este meu “estoque” aconteceu por não ter o triturador já de início, quando fazia o trabalho “à facão” para comprovar o bom resultado efetivamente em hortas e flores. 
Os cocos já em estado de decomposição são mais difíceis de triturar, eles quando muito úmidos (estas fotos e vídeo são de um dia chuvoso) acabam causando “embuchamento” das facas.
Tenho também neste estoque cocos cheios que passaram do período de consumo e que formam primeiramente uma pasta interna e depois, quando já bem secos, um pó com grandes propriedades para adubação. 
Quanto ao odor, no primeiro dia é um pouco forte, tanto na trituração verde ou em decomposição, já no segundo praticamente nada se sente mesmo na manipulação. Caso haja uma chuva, a água fica semelhante ao café, levando para terra grandes propriedades e deixando a fibra mais visível. 
A fibra e todos os outros componentes do coco são valiosos na adubação porque também contribuem para uma cobertura absoluta, que mantem a umidade e a temperatura fresca do solo coberto.
Outro aliado descartado como lixo, é o bagaço de cana utilizado no popular Caldo de Cana, de grande consumo.
A cobertura fica perfeita e elimina o uso de herbicidas para manter o solo limpo, preserva a umidade e ainda tem propriedades benéficas para adubação. 
Pode ser triturado também. 
Há de se ter um cuidado um pouco maior com insetos como moscas ou abelhas que são atraídas pelo açúcar da cana. Tudo fica solucionado após a primeira chuva.
Este material foi recolhido em uma lanchonete próxima de minha casa. Imagine quanto é descartado nas praias de todo Brasil?
O coco triturado já utilizei em flores, hortaliças e frutas com êxito, mantendo as plantas saudáveis sem a utilização de nada além dele por mais de um ano. Faço a mistura em camadas – primeiramente coco, depois terra e coco novamente. 
O bagaço de cana, por enquanto, só utilizei para cobertura do solo mas não houve nenhum dano ao que está plantado em meio aos locais cobertos, pelo contrário, mesmo neste verão de calor intenso plantas que antes não suportavam o clima continuam bem.
Quem tiver a oportunidade de aproveitar materiais como estes estará contribuindo duplamente com a natureza: reaproveitando o que seria acumulado em lixões, proporcionando melhor qualidade de vida para plantas e consequentemente, nossa própria saúde e bem estar.

Marcadores de Página, qual seu modelo preferido?

Se você ler algum livro, precisará de um marcador de página, talvez até um marcador de linha, o certo é que muitos livros não podem ser lidos de uma só vez e tantos outros são de pesquisa, onde a gente quer deixar algo “marcado” para futuras consultas, então, qual o seu marcador preferido?
O Marcador de Páginas com Imã (que eu ensinei a fazer em casa na postagem Marcadores de Página com Imã – Mais Uma Opção) é um dos mais práticos e seguros. Depois de marcada a página fica quase impossível sair dali em uma queda ou algo parecido. Além de poder ser personalizado com imagens e dados conforme a necessidade e criatividade do leitor.
O mais comum é o de papel, geralmente acompanhando o livro, anunciando lançamentos das editoras,utilizados por algumas empresas na divulgação de seus produtos ou em campanhas sociais. Alguns são muito bonitos e criativos.
Há também os que, inclusos em agendas, podem perfeitamente serem reutilizados muitas e muitas vezes em livros, cadernos e por que não, em outras agendas.
Os Marcadores-Adesivos, coloridos e também reutilizáveis são uma ótima opção para livros de pesquisas, receitas e cadernos. Baratos, práticos e em vários modelos, além da marcação acabam também enchendo de alegria nossas páginas com sua variedade de cores. Além dos coloridos também existem os temáticos, se quiser adquirir o seu, passe na minha Lojinha no Mercado Livre e conheça os temas “Marine e Italy”, quem sabe serão seus próximos marcadores, enh?
Chegamos nos menos comuns mas também já bastantes conhecidos “Marcadores de Linha” em alumínio (comentei sobre eles na postagem Comprar No Exterior Sem Sair De Casa). Pequenos, leves e práticos, são aqueles para marcar no lado da página exatamente na linha que desejamos. São utilizados com mais frequência em livros de estudo, de receitas, orações e cadernos pois seu tamanho discreto permite a utilização de vários sem criar volume e nos auxiliando de forma eficaz.
E quando além de práticos, eles são…bonitos. Vejam estes modelos para todos os gostos:
 
Para quem gostou dos talheres – colher e garfo – lá no Mercado Livre estão à venda. Clique aqui e leve para seu caderno ou livro de receitas.
Por fim, o que eu, particularmente, menos utilizo: o elástico (postagem anterior aqui). Ele é prático também, pois marca a página e a linha mas tem a limitação de ser utilizado em livros de determinado tamanho e capa dura para que realmente cumpram sua função sem causar dobras indesejáveis no livro.
E você, qual prefere?

Google Earth Pro para PC ou Mac Grátis

Quem já viajou pelo Google Earth agora tem a opção gratuita da versão pró que custava até US$ 400,00 ao ano.

É uma ótima opção para quem deseja ter mais recursos e para profissionais que já utilizavam o programa pagando (e bem caro) por ele.
Clique na imagem abaixo para fazer o download:
 Google Earth Pró
Ou Google Earth Pró Grátis  (link alternativo)
Não esqueça de registrar-se para poder utilizar, acesse a página abaixo:
 Google Pró Registro
Em seguida preencha os dados corretamente e aguarde o e-mail com a chave de licença:
Depois é só abrir o programa, colocar os dados e aproveitar todas as funções deste programa genial que nos faz viajar pelo mundo sem sair do lugar.
Boa viagem!