Arquivo | março 2015

Comprar no Exterior Sem Sair de Casa – Parte II

Primeiro veio o aumento na IOF – Imposto sobre Operações Financeiras nos pagamentos em moeda estrangeira realizados principalmente com cartões de crédito e débito, depois a alta contínua e aparentemente sem controle do dólar e assim, as compras no exterior ficaram bem menos atrativas.
Ano passado fiz uma postagem sobre minhas compras no exterior e volto aqui para expor outras compras e também lamentar ter sido taxada na alfândega, o que tornou a compra prejuízo ao invés de lucro.

Conheci o LightInTheBox.com e me arrependi de ter realizado compras lá. Foi a primeira taxação que sofri e doeu bastante. O site não teve o cuidado de embalar de forma que o pacote ficasse o menor possível e colocou o valor da compra impresso na caixa.

Desta forma, a compra de acessórios para celular (duas capinhas/case, adesivo, pingente e porta-celular para carro) que custavam $ 40,50 e eu paguei R$ 100,72 com impostos, teve um acréscimo de R$ 92,00 em taxas alfandegárias.
Se eu tivesse procurado comprar por aqui, teria pago menos, com certeza.
Quando a mercadoria é taxada, você sabe antes porque simplesmente a entrega não é realizada diretamente do centro de distribuição.

Aqui para Santa Catarina, as mercadorias do exterior chegam em Curitiba, Paraná e se não são taxadas seguem diretamente para entrega. Quando há taxação, elas primeiro seguem para Florianópolis. Então se no rastreamento você ver que o “caminho de entrega” está diferente do habitual, prepara-se.

Voltei ao Ali Express e comprei uma linda bolsa, linda mesmo. Algo que reparei nestas minhas compras é que o tamanho especificado nem sempre corresponde. A bolsa é menor do que pensei, mas ainda de porte médio. O valor de $ 28,88 custou R$ 73,11 com impostos, porém, fui taxada também e em R$ 103,35, ou seja, não valeu a pena novamente.

Depois de um bom tempo sem querer mais saber de compras internacionais, arisquei novamente:

Como no eBay minha Caneta Espiã veio com defeito, comprei outra no Ali Express. Os $ 5,03 me custaram no total R$ 12,83 e desta vez deu certo.
Falando sobre o produto, gostei. Coloquei uma memória de 16GB e utilizo principalmente em locais que o celular não é bem vindo e eu quero fotografar ou filmar reuniões ou eventos. Claro que a resolução não é das melhores mas é prática e dispensa outros acessórios para anotações. Não espiei nada por enquanto, mas nunca se sabe quando será preciso, não é?

Marcadores de página temáticos foi minha próxima opção de compra. Neste caso eu pedi outros temas e não me enviaram conforme solicitado. O valor de $ 1,33 por cada embalagem com 120 unidades custou R$ 6,79 para as duas adquiridas. São de papel, bonitos, e estou vendendo idênticos em minha loja no Mercado Livre caso desejem adquirir aqui no Brasil, sem esperar 60 dias ou mais pela entrega.

Pequenas borrachas lindas e perfumadas. O casal de bananas é mesmo fofo. Utilizar como enfeite foi minha alternativa, pois não tive coragem de apagar nada com elas ou colocar em um armário para perfumar aquele ambiente. No valor de $ 1,99 cada par, dois pares me custaram R$ 5,91.
Meu trabalho tem tudo a ver com bananas, então um par fica no escritório e outro em casa.

Outra bolsa incrivelmente linda e eu…arrisquei. Arisquei e deu certo. Chegou sem taxação 60 dias depois. Novamente o tamanho é um pouco menor do que o anunciado, mas também de tamanho médio, os $ 18,89 me custaram R$ 53,75. Desta vez valeu a pena e a entrega sem taxas se deu principalmente porque o vendedor embalou adequadamente, como se fosse um presente, sem valores impressos no pacote.

Os marcadores em metal são especiais, já postei sobre eles aqui. Nesta compra no valor de $ 7,65 que me custou R$ 21,90 tive um problema: deveriam vir 20 unidades e vieram apenas 16. Reclamei e o valor parcial me foi restituído, mas fiquei chateada pois queria os com motivo de tesoura e máquina que costura que não vieram e a colher e garfo vieram repetidos. Bom, já deu para perceber nestas duas postagens que nem sempre as compras saem como a gente gostaria, não é? Paciência…

Ainda tenho cinco compras para receber e em outra postagem apresento minhas novas experiências para vocês. São compras realizadas já com o dólar em alta e então considero que pelo menos uma, não vai valer a pena, mas quem sabe eu me surpreenda positivamente, enh?

Até breve!

O Que Você Quer, Brasileiro?

Vem um dinossauro bem pré-histórico do “partido de direita que é vice de esquerda” (como se existisse realmente isto no Brasil) e diz que não devemos pedir impeachment. Juntam-se alguns “artistas” para falar que nunca estiveram contra o governo ou apoiando o impeachment. Vem mais apresentadores de tv e até jornalistas que mascaram notícias defendendo o governo e o governo, por sua vez, diz com todas as letras “não estar nem ai” para as manifestações e manda o povo ir mesmo gastar seu tempo em vão.
As pessoas, o tal do povo, totalmente influenciado, começa a mudar o seu discurso de “Fora Dilma” para “vamos ver se não tem outro jeito”.
O problema do Brasil é o brasileiro.
1. Confiaram nas urnas eletrônicas e estas urnas deram vitória ao PT novamente, presume-se que era o que a maioria queria e que uma boa parte se eximiu de qualquer responsabilidade deixando de votar;
2. Não é uma guerra partidária e muitos levam para este lado – um impeachment não é uma disputa onde alguém saia vencedor, pelo contrário, é a demonstração de incompetência do governo e insatisfação extrema do povo;
3. Se ninguém realmente aguenta mais, a reforma tem que ser geral e não só presidencial. Temos um bando repleto de mordomias que nós mesmos elegemos e que estão nem ai, nos seus carros blindados e armados de muito dinheiro. Nem parece que saíram do povo e para o povo, pois “trabalham” para si mesmos (se alguém se salva, me desculpe);
4. O povo tem que saber o que quer, se são só R$ 0,20 novamente, que desperdício de tempo. O governo concede qualquer esmola em alguma coisa para contentar os que se dizem descontentes COM TUDO, cobra em outro lugar de uma parcela da população (aquela que sempre paga o pato) e tudo acaba em pizza. 
Será que o povo tem consciência e consistência no que pede?
Mais uma vez eu pergunto: será que cada um está mesmo disposto a pagar o preço de uma revolução e mudar tudo, tudo mesmo?
E o pior: quem são os competentes, honestos e verdadeiramente comprometidos com o povo que tomarão o lugar dos que ali estão?
Se a pessoa não pede nota fiscal, tem tv à cabo “gato”, é um “dono da estrada” e atrapalha propositadamente os outros no trânsito, corta fila no banco e tenta tirar vantagem em tudo, como pode chamar outro de corrupto?
O mesmo ladrão de um real é o ladrão de um milhão, só a oportunidade mudou.

Meu desejo pessoal é de um país decente com todos, honesto, competente, sem divisão de cotas, minorias, maiorias, regiões, classes e falso socialismo. Para isto é preciso que os que mandam deem o exemplo para que a casa seja limpa de cima para baixo e que, com investimento verdadeiro em educação, não só conhecimento mas formação de caráter, tenhamos resultado daqui umas três gerações no mínimo.

Temos 515 anos de história para mudar, conseguiremos?