Arquivo | julho 2017

O Que Eu Aprendi Com Você

flor pedra

Sempre estive consciente de tudo. Não houveram promessas, planos, juras de amor ou qualquer atitude que pudessem elevar aqueles momentos ao status de relacionamento. Sim, eu sabia que era uma aventura e que não poderia me iludir, fantasiar, cobrar nada…

De repente me sentia outra e me surpreendia sentindo o que já considerava impossível. Aos poucos fui tirando a armadura que de tão dura, me afastou de mim mesma e que me escravizou em um mundo cinza onde o comprometimento em manter a rotina era a única certeza que me mantinha na ilusão do conforto.

Me vi abrindo exceções, sentindo borboletas dentro de mim, ao invés das eternas lagartas. Quis me tornar mais afável, não tão rígida e falar sobre coisas boas aos invés de martelar os infortúnios da vida e do mundo.

Finalmente me olhei no espelho novamente, quis me ver e me vi bonita independentemente das marcas do tempo, dos problemas e de estar vivendo uma ilusão.

Sem saber você estava me libertando das algemas do passado. Eu estava, finalmente, abandonando a menina decepcionada e fechada no casulo para me tornar uma mulher com desejos próprios acima da lei e da ordem, acima das próprias convicções, acima de tudo que poderia e nunca foi, acima do que me ensinaram a ser e eu sempre fui.

Me vi capaz de aceitar, de compreender, de abrir mão. Nos meus devaneios vivemos eternidades nos milésimos de segundo e eu fui feliz, simplesmente por te sentir respirar perto de mim.

Eu entendi que mesmo querendo conhecer o mundo e todas as suas maravilhas, que no meu desejo quase insano de viver, de ver, de colocar o pé na estrada e me surpreender após a próxima curva, a felicidade pode estar no lugar mais inóspito, assim como era meu coração antes de você. Basta chegar alguém que nos faça ver tudo diferente.

Obrigada por não saber definir entre desejo, paixão ou amor e poder sentir tudo misturado sem nunca chegar em uma conclusão e mesmo assim, valer a pena.

Obrigada por me fazer melhor, por me devolver à vida. Já não me importa o sofrimento, a tristeza, a perda e tudo mais que acontece ou pode acontecer. O que você me deu viverá para sempre em mim como um dos maiores tesouros que alguém pode receber.

Túnel do Tempo – I

tuneldotempo

Já em várias postagens falei sobre minha tia-avó, Irmã Eva. Apresentei um pequeno histórico de sua vida e seu primeiro livro, posteriormente seu segundo livro, além de outras menções.

Desde criança sempre gostei de guardar as lembranças. Fazia pastas e antes mesmo de me formar em datilografia organizava cartas, cartões, fotos e recortes de jornais e revistas anotando alguns dados e datas e arquivando.

Um dia desses me pego folheando estas pastas antigas e encontro duas preciosidades: cartões enviados à mim e minha família por minha tia:

Foi como entrar em um Túnel do Tempo. Eu escrevia cartas e ela respondia sempre que possível. As visitas eram raras, dado seu trabalho com o cultivo de plantas medicinais e o atendimento ao grande público que lhe procurava, então estes contatos eram preciosos.

Quando criança ela me presenteava com os cartões postais que recebia e eram dezenas. Após ler cada um, fazia um pacote e enviava por algum conhecido, além de roupas e plantas que distribuía entre a família.

Nestes cartões vê-se a preocupação quando sofri um acidente e fraturei a perna direita em 1997 e quando do falecimento de minha avó materna, sua irmã, em 1998.

Impossível não se emocionar e agradecer por ser sobrinha-neta desta pessoa que plantou muitas ervas na terra e muitas boas sementes na vida das pessoas.

Em postagem anterior postei sobre o Projeto de Lei para criação do Dia da Fitoterapia, a lei entrou em vigor em 17 de julho de 2013:

dia-fitoterapia

Também em 2003, um Selo Postal foi criado. Uma grande homenagem:

selo-irma-eva

Em 29 de novembro de 2004, foi inaugurado o Horto Irmã Eva Michalak, em Rodeio, SC, preservando e dando continuidade ao trabalho de toda uma vida:

horto

Já homenageada pelas companheiras de congregação, pelos admiradores de seu trabalho, pelo estado de Santa Catarina e aqui, humildemente, homenageada por mim na data em que se completam 105 anos de seu nascimento.

Mesmo tendo nos deixado há 10 anos, seu legado ficará para sempre!

Irmã Eva

Se você quiser usufruir um pouco desta sabedoria, o livro O Éden de Eva está disponível para baixar em formato *.pdf. Fica aqui o agradecimento à EPAGRI de Santa Catarina por disponibilizá-lo gratuitamente a todos.

Obrigada, tia!

Obs.: Tutorial para baixar o livro aqui.