Arquivos

Comentário do Dia

images

Entro em uma loja e considero um produto caro, então a vendedora me diz:
– Pensa bem, esse produto está custando R$ 40,00 mas uma dúzia de ovos já está R$ 6,00 e o ovo é só sair do fiofó da galinha e está pronto, olha o trabalho para produzir isso.
Então eu pergunto:
– Você tem uma galinha?
– Não, claro que não, mas é tão simples.
– É simples ter a galinha, alimentar ela, ter um local para que ela viva e aquecer este local e ter muito mais que uma para fazer muitas dúzias todos os dias. Do fiofó não sai só ovos, tem que limpar e ai recolher, colocar numa embalagem, dai vem um caminhão e transporta estes ovos para um centro de distribuição e depois para o mercado e dai você vai lá e compra por R$ 6,00 e acha que é simples?
– Ah, mas não tem comparação, um ovo você comeu e acabou e isso aqui você vai ter por muito tempo.
– Mas você não tem que comer e beber todos os dias? Sem isso aqui você vive, sem comer não. Se você não comer e bem você não tem saúde, se não tem saúde não trabalha, se não trabalha, não tem dinheiro e se não tem dinheiro não compra nem isso e nem nada.
– Mesmo assim, não tem comparação.
E eu encerrei a conversa concordando.
Afinal, não tem mesmo comparação.

Então vou em outra loja e penso alto pensando estar falando comigo mesma:
– Nossa! Como isso aqui aumentou desde a última vez que eu comprei… (eu nem falei que estava caro, só que aumentou).
Então uma vendedora diz:
– Mas é claro, tudo aumentou, não viu o preço que está o pão?
E outra cliente emenda:
– Pois é, não dá mais nem para comer pão…
Então eu penso em explicar quantos ingredientes vão para produzir o pão e que são produzidos em locais tão diferentes e que vão para as mãos do padeiro, que tem toda a mão de obra e depois são assados no forno que consome tanta energia e por fim uma grande quantidade é desperdiçada, porque aquele que está “pagando caro” quer tudo fresco, feito na hora e nem pensa no que está indo para o lixo, mas eu desisto, porque seria inútil.

Por fim chego em uma feira de frutas e verduras.
Fico observando as conversas:
Tudo caro, tudo “pela hora da morte”, tudo feio, tudo que deveria ser muito melhor e mais bonito pelo preço que se paga.
Então observo uma senhora sentada quietinha quase lá no caminhão do verdureiro.
Puxo conversa e descubro que ela está ali esperando o final da feira porque o feirante doa as sobras do dia e para ela isso faz toda diferença. Disse que boa parte do que come durante toda semana vem dali.
Já olhei o verdureiro de forma diferente, é um herói do dia a dia que contribui melhorando a vidas das pessoas do jeito que pode, enquanto muitos descartam as sobras em qualquer canto.
Mostro para a senhora um objeto de decoração em uma barraca instalada ao lado da feira e ela sabiamente me diz:
– Veja só, isso aqui é muito bonito, custa mais de R$ 30,00, mas você leva, coloca numa mesa ou numa estante para enfeite e fica ali e pronto. Com R$ 30,00 dá para comprar um monte de verduras, frutas, ovos (olha o fiofó da galinha aqui) e para comer muito. Claro que cada produto tem seu valor mas se comparar com a comida, a comida não é cara.

Ela, em sua simplicidade e necessidade entendeu o que aquele que pode comprar não entendeu.
Nunca, jamais, poderemos comparar o valor da comida com qualquer outra coisa, água e alimento são fundamentais e ponto final.
As pessoas se habituam a pagar caro por coisas que poderiam até ser mais baratas se elas não fizessem esta comparação absurda, desproporcional, sem sentido.

Em países desenvolvidos os alimentos são realmente muito caros e o desperdício é punido quase como um crime. Você não pode simplesmente descartar comida e muito menos em qualquer local, você tem que pagar para jogar alimentos fora.
Há centros que cuidam até da última ponta de folha de alface para que não se perca, as pessoas tem o discernimento de que alimentar-se e bem vem em primeiro lugar e que a comida, ao contrário do que a maioria pensa, não é só plantar e colher, ou recolher depois da galinha ponhar.

Não estou aqui para tabelar os alimentos e muito menos outros produtos ou serviços. Estou aqui para dizer que é preciso dar valor ao que se come e se bebe, a quem produz, a quem distribui. Estamos num país rico em produção de alimentos e muitos ainda passam fome.

Vai entender o ser humano…

Receitas e Curiosidades da Banana, A Fruta Mais Amada do Brasil

 Este é meu pequeno livro de receitas, dicas e curiosidades da Banana, esta fruta deliciosa e tão presente na vida dos brasileiros e do mundo inteiro.

O livro traz receitas de doces e salgados para que você aproveite ainda mais todo sabor e nutrientes da banana. Além disso há dicas e curiosidades para que você conheça melhor alguns dos benefícios da fruta in natura, da polpa, da casca e da farinha.

Editado de forma simples e direta, tenho certeza que você, sua família e amigos vão aproveitar muito.

Lembrando que ele está disponível no formato e-book, desta forma você pode ler no computador, no celular, tablet ou Kindle.

Você também pode editar e lançar seu próprio livro, escrevi sobre isto aqui.

Clique na capa no início desta postagem ou aqui e bom apetite!

História Do Futuro

Um livro digno de virar leitura obrigatória para todo brasileiro.

Esta á a melhor definição para o livro de Míriam Leitão – História do Futuro. Como nenhum outro que eu tenha lido, ele procurou unir passado, presente e futuro possível, explicar o que fomos, somos e podemos ser com o que temos em nossas mãos.

Desde o paraíso que recebemos por herança e que continuamos degradando ou nos eximindo de nossas responsabilidades; os habitantes: quantos fomos, somos e seremos; nossa educação que necessita tanta atenção e investimento; nossa economia; nosso preconceito; nossa aposentadoria; os desafios da saúde pública; as fontes de energia, a forte agricultura; as fronteiras e o Brasil no mundo e para o mundo.

Todos os detalhes estatísticos sobre nós mesmos com riqueza de detalhes, de números que comprovam, algumas vezes, o oposto do que nos fazem acreditar; entrevistas com quem realmente entende e com quem a gente não entende ou não quer entender, como os índios, por exemplo.

Trabalho muito bem executado e expresso em uma obra dinâmica, direta, sem perder o foco do que realmente interessa a nós todos. Acreditem, o Brasil tem jeito, mas não há milagre, depende de cada um fazendo a sua parte e esta parte vai mais além do que pensamos.

Confira a sinopse:

“História do Futuro é um grandioso livro de reportagem em que a jornalista Míriam Leitão mapeia o território do que está por vir com base em entrevistas, viagens, análises de dados e depoimentos de especialistas, depois de três anos de pesquisas.
Ela aponta tendências que não podem ser ignoradas em áreas como meio ambiente e clima, demografia, educação, economia, política, saúde, energia, agricultura, tecnologia, cidades e mundo. E adianta que o futuro será implacável para os países que não se prepararem para ele.
Leitura obrigatória para quem deseja conhecer em profundidade as perspectivas para o país. Em linguagem acessível, a autora apresenta o resultado de suas extensas investigações sobre o que está por vir, alternando dados com histórias de interesse humano que ilustram as tendências para o futuro.
A autora é a uma jornalista das mais premiadas do país, tendo conquistado o prêmio Jabuti de Não Ficção em 2012. Já recebeu os prêmios Jornalismo para Tolerância, Jornalismo Econômico, concedido pela Ordem dos Economistas do Brasil, e o Prêmio Esso de Informação Científica, Tecnológica ou Ambiental.”

Agricultura, O Maior Trabalho Da Terra

Todos os dias necessitamos de alimento, mas nem sempre valorizamos quem o produz.

A BASF Brasil em uma campanha belíssima que atravessa os anos nos faz refletir sobre nosso papel na sociedade, nossa responsabilidade de consumo consciente e  diminuição de desperdício e, principalmente, nosso respeito e gratidão por aqueles que continuam trabalhando na terra, alimentando o mundo.

Assista os vídeos que representam também a minha homenagem aos dias 25 de Julho – Dia do Colono e 28 de Julho – Dia do Agricultor:

Veja quanto se consome e quanto é preciso produzir para alimentar a nós todos, lembrando que, infelizmente, pela má distribuição de renda, mais de 795 milhões de pessoas passam fome no planeta, além de animais domésticos e selvagens que pela irresponsabilidade humana, acabam por não ter alimento ou consomem poluição e acabam morrendo.

O Brasil se destaca na produção mundial e com políticas públicas conscientes pode se tornar o maior celeiro do mundo. É preciso urgentemente investir no setor rural com responsabilidade, respeito e conhecimento de suas necessidades, valorizando o agricultor e renovando por completo a logística de escoamento da produção. Nós podemos e nós seremos alimento para todos!

Ideias Úteis

Você lembra que falei aqui sobre um Marcador de Páginas fácil de fazer e super útil, com imã?

Pois é, todos os dias a gente procura facilitar a própria vida, de forma rápida, prática e se possível, barata.

Hoje trago aqui algumas dicas em vídeo que “garimpei” na internet e que podem nos ajudar.

Vamos começar por novos copos:

E uma capinha para o celular super prática e rápida:

Até as fraudas podem ser muito úteis, vejam só:

Use o vinagre para tudo:

Boas ideias nunca faltam, também postei aqui sobre o Adubo Alternativo (Casca do Coco Verde e Bagaço de Cana). Colhemos em nosso quintal, sem a utilização de nenhum outro adubo natural ou químico, alguns quilos de feijão, além de verduras constantemente, frutas e outras culturas de acordo com suas épocas de plantio. O custo foi o de apanhar o que seria descartado, triturar e distribuir sobre a terra. O espaço plantado tem cerca de 250 metros quadrados.

Nossa Horta

Não deixe de aproveitar várias dicas simples que se tornam geniais pela facilidade. Há livros especializados em dicas, como Dicas Incríveis, de Sueli Rutkowski, entre outros. Programas de televisão também ajudam. Até o espantalho pode ser substituído por uma garrafa pet, lembram deste post?

Tem alguma sugestão para espalhar uma boa dica? Deixe seu comentário e podermos fazer um segundo capítulo desta postagem. Mãos à obra!

Adubo Alternativo

Já escrevi sobre o reaproveitamento do Coco Verde nesta postagem e agora volto para escrever sobre minha experiência pessoal sobre o assunto.

No vídeo, eu mostro um pouquinho da minha área, onde estou utilizando além da casca do coco verde triturada, também o bagaço de cana, vejam:

O equipamento utilizado para trituração é um Triturador de Cocos Trapp à gasolina:

Falando sobre o equipamento, ele tem suas vantagens e desvantagens: é prático e tritura centenas de cocos por hora, mas também requer muito cuidado e manutenção. Estou tendo uma boa experiência com a Assistência Técnica da Trapp que está me auxiliando e solucionando os problemas que aparecem no decorrer do uso.
O armazenamento está sendo ao ar livre, mas é bom sempre deixar o lado furado virado para baixo para não acumular água. Este meu “estoque” aconteceu por não ter o triturador já de início, quando fazia o trabalho “à facão” para comprovar o bom resultado efetivamente em hortas e flores. 
Os cocos já em estado de decomposição são mais difíceis de triturar, eles quando muito úmidos (estas fotos e vídeo são de um dia chuvoso) acabam causando “embuchamento” das facas.
Tenho também neste estoque cocos cheios que passaram do período de consumo e que formam primeiramente uma pasta interna e depois, quando já bem secos, um pó com grandes propriedades para adubação. 
Quanto ao odor, no primeiro dia é um pouco forte, tanto na trituração verde ou em decomposição, já no segundo praticamente nada se sente mesmo na manipulação. Caso haja uma chuva, a água fica semelhante ao café, levando para terra grandes propriedades e deixando a fibra mais visível. 
A fibra e todos os outros componentes do coco são valiosos na adubação porque também contribuem para uma cobertura absoluta, que mantem a umidade e a temperatura fresca do solo coberto.
Outro aliado descartado como lixo, é o bagaço de cana utilizado no popular Caldo de Cana, de grande consumo.
A cobertura fica perfeita e elimina o uso de herbicidas para manter o solo limpo, preserva a umidade e ainda tem propriedades benéficas para adubação. 
Pode ser triturado também. 
Há de se ter um cuidado um pouco maior com insetos como moscas ou abelhas que são atraídas pelo açúcar da cana. Tudo fica solucionado após a primeira chuva.
Este material foi recolhido em uma lanchonete próxima de minha casa. Imagine quanto é descartado nas praias de todo Brasil?
O coco triturado já utilizei em flores, hortaliças e frutas com êxito, mantendo as plantas saudáveis sem a utilização de nada além dele por mais de um ano. Faço a mistura em camadas – primeiramente coco, depois terra e coco novamente. 
O bagaço de cana, por enquanto, só utilizei para cobertura do solo mas não houve nenhum dano ao que está plantado em meio aos locais cobertos, pelo contrário, mesmo neste verão de calor intenso plantas que antes não suportavam o clima continuam bem.
Quem tiver a oportunidade de aproveitar materiais como estes estará contribuindo duplamente com a natureza: reaproveitando o que seria acumulado em lixões, proporcionando melhor qualidade de vida para plantas e consequentemente, nossa própria saúde e bem estar.

Novo Livro de Irmã Eva, Minha Tia!

Irmã Eva

Com grande alegria, venho aqui divulgar o novo livro sobre minha tia, Irmã Eva, “O Éden de Eva – Descritivo Ilustrado das Espécies Medicinais do Horto Eva Michalak” de autoria de  Antônio Amaury Silva Júnior e é claro, minha própria tia.

Segue parte da publicação oficial de lançamento, do site da EPAGRI/SC. Acesse aqui para visualizar a matéria completa.

*****

Em 1996 a Epagri iniciou oficialmente ações de pesquisa na área de plantas bioativas, visando principalmente viabilizar o cultivo de novas alternativas de renda para a agricultura catarinense. Para atingir esse objetivo, a equipe de pesquisa contou inicialmente com uma forte aliada, a Irmã Eva Michalak, da Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas, em Rodeio. Essa parceria culminou com a implantação, na Epagri/Estação Experimental de Itajaí, do maior banco ativo de germoplasma (BAG) de espécies bioativas da América do Sul. Recentemente, a Epagri tornou-se oficialmente Fiel Depositária de Espécies Bioativas no Brasil.

A ideia da publicação de um livro atualizado sobre plantas medicinais surgiu por sugestão da Congregação Franciscana, que iria comemorar os 100 anos de fundação em 2014. Com base no sucesso do opúsculo – Apontamentos Fitoterápicos da irmã Eva Michalak, que já está na quarta edição, a Epagri optou por fazer uma publicação com dados científicos sobre as espécies que ocorrem no Horto Eva Michalak e com imagens de alta definição das espécies elencadas.

O livro – O Éden de Eva – é uma das várias publicações geradas pela Epagri na área de plantas bioativas, como resultado direto das observações etnobotânicas da Irmã Eva aliadas às informações científicas que comprovam a maior parte do conhecimento popular. A obra, de caráter técnico, destina-se aos profissionais da área, professores, pesquisadores, empreendedores, estudantes universitários e ao público em geral. Mas apresenta também um alcance social, informando as populações rurais e urbanas acerca das características botânicas, farmacológicas e toxicológicas das espécies bioativas mais utilizadas no Brasil.

Conteúdo do livro:

♦ Biografia da irmã Eva ♦ Histórico da Congregação das Irmãs Franciscanas ♦ Histórico do município de Rodeio ♦ Cartinha histórica da Irmã Eva ♦ Descobrindo as plantas medicinais ♦ Identificação de espécies ♦ Sistemática ♦ Nomenclatura de espécies ♦ Etnobotânica ♦ Biodiversidade, extrativismo e extinção de germoplasma ♦ Espécies medicinais do horto Eva Michalak

Exemplo de abordagem das espécies no livro:

ARTEMÍSIA-ROMANA:  Tanacetum parthenium (L.) Schultz Bip. – Asteraceae

SINONÍMIA POPULAR : Artemigem-dos-jardins, artemijo, artimijo, artemísia-romana, camomila-pequena, macela-da-serra, macela-do-reino, margaridinha, matricária, monsenhor-amarelo, piretro-do-cáucaso.

BOTÂNICA: Planta herbácea, aromática, muito ramificada, bianual ou perene, que cresce de 60 a 90 cm de altura. Folhas pecioladas, alternas, verde-amareladas, glabras ou pouco pubescentes, com 3 a 7 pares de segmentos oblongos e inciso-denteados. Apresenta inflorescências em capítulos dispostos em corimbos terminais. As flores do disco central são amarelas e tubulosas, circundadas por lígulas brancas, formando capítulos com cerca de 1,3 a 1,6cm de diâmetro e dispostos em corimbos foliares. Fruto aquênio castanho com costas longitudinais. Apresenta cheiro forte, desagradável e sabor amargo. O florescimento ocorre no início do verão.

FITOQUÍMICA: Óleo essencial presente nas flores (0,02 a 0,07%) contém cânfora, borneol, ésteres, cosmosiína, santamarina, metilbutirolactonas, a-pineno, germacronolídeos, guaianolídeos e sesquiterpenos clorados. O partenolídeo, encontrado nas folhas e flores é o principal componente das lactonas sesquiterpênicas, cujo teor no extrato etanólico e aquoso é de respectivamente 0,3 e 0,5% podendo chegar a 0,6 a 0,9%. Contém ainda as lactonas hidroxipartenolídeo, secotanapartolídeos, canina, artecanina, michefuscalídeo, epoxi-artemorina, epicanina, costunolídeo, reinosina e crisantemonina; apigenina, luteolina glicuronídeos, luteolina, crisantemina, tanetina quercetagetinas, ácidos fenólicos, fitosterina, ácido antêmico e tânico.

AÇÕES COMPROVADAS CIENTIFICAMENTE: Antiplaquetária, anticoagulante, anticefalálgica, antitumoral, imunomoduladora, espasmolítica, antiinflamatória, anti-serotonérgica e antimicrobiana (Sarcinia lutea, Candida albicans, Candida guilliermondii, Salmonella enterii e Staphylococcus aureus).

TOXICOLOGIA: O manuseio freqüente da planta pode resultar em dermatite alérgica de contato, Pode causar o aborto à planta não deve ser utilizada por pacientes que utilizem drogas anticoagulantes. Antiinflamatórios não esteroidais podem afetar a eficácia da camomila-romana no tratamento da enxaqueca.

OUTRAS PROPRIEDADES: • A planta é inseticida e insetífuga. • Utilizada como ornamental para corte ou em jardins. • Melhora a estrutura do solo. • As abelhas evitam a aproximação quando ocorrem plantas de camomila-romana.

*****

A obra tem 227 páginas, 250 fotografias coloridas e custa R$ 32,00.

Quem quiser adquirir, pode fazer contato via e-mail: gmc@epagri.sc.gov.br e para mais informações, com o autor Antonio Amaury Silva Júnior, também por e-mail: amaury@epagri.sc.gov.br.