Arquivos

Guaramirim, Sua Linda!

brasao_guaramirim

É impossível dimensionar o amor que tenho por este lugar. Se é verdade que criamos raízes, então ao nascer minhas raízes cravaram-se forte neste município que sempre foi minha casa, meu chão, meu espaço no mundo.

Estou vivenciando e analisando o quanto cresce, o quanto muda e o quanto necessita de atenção, carinho, empenho e trabalho sério, responsável, digno e honesto.

Novamente às vésperas de mais uma eleição e já tendo vivido alegrias e decepções ao longo de mais de três décadas, deixei meu pedido em uma rede social e o transcrevo nesta postagem, com a esperança que daqui quatro anos eu possa reler e ver que as coisas mudaram para melhor:

“Senhores e Senhoras candidatos e candidatas aos cargos de prefeito (a) e vereadores no município de Guaramirim,

Neste pleito não apoiei publicamente ninguém e sinceramente ainda estou lendo os projetos de trabalho de suas candidaturas, mas peço, encarecidamente, que olhem além do pleito de quatro anos.
Não vou listar o que o município precisa e não estou aqui para criticar ou exaltar ninguém, mas é preciso com urgência que se olhe este município com olhos de futuro e não de “tapa buraco”.

Vocês já ouviram um ditado que diz “quem tem terra, nunca erra?”, pois é, cadê as áreas públicas de Guaramirim?

Vocês já fizeram as contas de quanto se gasta alugando um lugarzinho aqui, outro ali, adaptando, reformando e trocando de lugar setores que funcionam espalhados sob o “chão privado”?

Até agora eu não li em nenhum programa alguém que tenha a pretensão (e a cumpra) de comprar um terreno público, planejar um bom prédio que seja útil pelo menos pelos próximos 20 anos e colocar tudo lá para funcionar adequadamente, sem remendos, sem aluguel, sem trocas de lugar e com o mínimo de comodidade que o povo merece.

Façam as contas de quanto se gasta com alugueis e remendos no que é dos outros e tenho certeza que sim, é possível, como grande arrecadador que este município é, construir algo público, adequado, moderno e descente como Guaramirim merece.

Outro ponto é o de sempre, parecemos um bairro abandonado de Jaraguá do Sul, sabem por quê?

Porque não temos identidade, não temos uma cultura nossa! Cadê nossa festa típica? Cadê nosso museu?

Sim, todos os municípios vizinhos tem sua própria cultura e nós, por que não temos?

Há outras prioridades? Há. E por que por uma coisa temos que abrir mão de outra? Não temos competência para tudo?

Temos, temos sim, mas tem que se ter uma visão de longo prazo, de futuro, muito além de 4 anos.

Precisamos sim de um lugar público para eventos e este local só vai dar prejuízo se for mal administrado, do contrário, outros municípios não teriam até mais que um.

Por que não há uma área arborizada de lazer nos bairros e em terreno público para os moradores? Porque não há terreno público nos bairros…já passou do tempo de consertar isso.

Guaramirim é um dos únicos lugares onde as entidades, associações de moradores, pais, agricultores, esportistas e afins são vistas quase como inimigas do setor público quando são, na verdade, grandes parceiras que merecem apoio, reconhecimento e trabalho conjunto. Nos outros municípios se vê entidades com 20, 30, 40 anos, sempre trabalhando em parceria, enquanto aqui, minguam ou morrem prematuramente.

E se é para falar de “terra pública”, vamos pegar um exemplo onde é possível fazer muito melhor: o posto de saúde do centro já deveria ser um prédio faz muito tempo, deveria ter atendimento especializado 24 horas, setores bem distribuídos, atendimento de ponta, por que ainda não é?

É preciso mais cuidado com as construções irregulares. Será que é tão difícil investir mais e melhor no setor de fiscalização?

Senhores e Senhoras, “tapem os buracos” urgentes e façam o que realmente é necessário, útil e duradouro.

Um pleito tem que dar continuidade em grandes projetos que o anterior começar, nós povo e vocês, candidatos, vivemos no mesmo ambiente.

É para nós mesmos que temos que pensar melhor, projetar melhor, investir melhor e construir um lugar melhor e digno.

Dá trabalho? Sim, é para trabalhar pelo bem comum que nós que pagamos e vocês que administram estamos aqui.

Obrigada.”

Postagem em 12/09/2016 – https://www.facebook.com/tinaventuri1980/posts/852049594931541

Comentário Do Dia

juiz-defere-liminar-suspendendo-concurso-publico-em-monte-castelo-cbf53ba550.jpg

Conversando com alguns amigos ontem – e quem não deve que não use a carapuça – comentamos sobre Concurso Público.

Estes amigos querem prestar concurso público e eu perguntei por que ou para que.

Todos responderam que era pela estabilidade, pelo salário acima do mercado, para fugir da crise, porque não há cobrança de metas ou execução dos trabalhos, que não importa se é seu sonho profissional ou não, o importante é “se garantir”…

Esta é a visão deles sobre o serviço público e sobre o que querem para suas vidas.

Todos reclamaram da situação da política brasileira de A a Z e do serviço público atual.

Ninguém falou que queria passar no concurso para TRABALHAR no serviço público e fazer melhor do que os que estão lá, para atender melhor ao público (que somos nós, os verdadeiros patrões deles), para fazer a diferença, otimizar serviços, fazer o dinheiro render, não se corromper e denunciar a corrupção e tudo que é possível para o município/estado/país existir com decência.

O que deveria ser uma obrigação de qualquer pessoa que se dispõe a ocupar uma vaga pública com empenho e honestidade hoje é tido como exceção, tem que ser agradecido imensamente.

Em uma empresa ou você veste a camisa ou você está fora, porque no setor público aceitamos tudo?

Será que é porque boa parte da população queria estar lá para fazer o mesmo?

Brasileiro, a mudança começa por você e não pelos outros!

Brasil de Todos ou de Ninguém?

Estamos escrevendo a história do país. Dia após dia descobrimos e aprendemos mais sobre as forças que governam o Brasil.

Insatisfeita com os casos sempre crescentes de corrupção, com a má situação econômica e com falta de confiança na classe política, a população procura seus direitos exigindo justiça e a saída da atual presidente através de várias e grandes manifestações públicas por todo país.

Sendo reeleito com uma pequena diferença de votos, o PT – Partido dos Trabalhadores, entrou em seu quarto mandato com um discurso populista que foi sendo desconstruído pelos escândalos de desvio de dinheiro, entidades públicas sucateadas (hospitais, rodovias, escolas e até a gigante Petrobrás), redução de investimento nos programas populares, violência e desemprego crescentes. O Brasil perdeu o selo de bom pagador perante o mundo e a situação economia continua em declínio.

S_rgio-Moro

Inicia-se assim a construção de um herói popular que já garantiu páginas nos livros de história: o Juiz Federal Sérgio Fernando Moro que chefia uma investigação intitulada de Lava-jato e que em cada fase encontra mais envolvidos, mais corrupção e chega aos grandes nomes da política nacional.

Admirado por todos que não estão satisfeitos com a atual situação, mensagens de apoio se multiplicam nas redes sociais, nas ruas, nos gritos de ordem (e de socorro) e literalmente, vestiu-se sua camisa em defesa de uma limpeza dos órgãos públicos.

De fato, ninguém antes dele agiu com tanta determinação e coragem enfrentando tudo e todos, sem distinguir cargos ou poder político. Particularmente, o admiro profundamente.

A Polícia Federal segue com seu trabalho e a crise político-administrativa se agrava com as decisões tomadas pelo partido eleito. Todos os dias vivemos momentos conturbados e a insatisfação é manifestada com mais esmero pelo povo brasileiro e por lideranças partidárias da oposição.

Vamos do sentimento de impotência ao de esperança constantemente e esperamos, como bom brasileiros, que a impunidade termine e que possamos viver num país com mais igualdade. Hoje o discurso populista de quem está no poder ao invés de unir separa as pessoas classificando-as por raças, classes sociais, origens e condições econômicas. Não sabemos quem serão os próximos e como será, mas a luta é por melhores condições de vida para todos, sem distinção.

Estes momentos são bons para que as pessoas tomem consciência de seus direitos e deveres, no seu cotidiano passem a agir com mais responsabilidade e discernimento e, principalmente, não votem só por votar ou se corrompendo por favores eleitoreiros. É preciso ser exemplo para que as novas gerações produzam governantes íntegros e não necessitemos mais viver sem o básico que pagamos para o setor público nos fornecer e menos ainda assistindo o enriquecimento ilícito dos que aproveitam seus cargos para fazerem tudo por si e nada pelos brasileiros.

Em março escrevi uma carta e enviei para juiz. Sua esposa criou uma comunidade na rede social Facebook para agradecer o carinho dos brasileiros e minha carta está lá. Fiquei feliz por ter chego ao destino, ter sido bem recebida e pelo agradecimento com a publicação:

carta

Comentário Do Dia 

Acompanhando as notícias de mais um ataque do “estado islâmico” vejo novamente como as vidas dos seres humanos tem valores diferentes.Há décadas as maiores potências em armamento do mundo derramam o sangue e a miséria em boa parte do oriente e é claro, muita, muita coisa não é divulgada, afinal, quem quer contrariar quem manda?

Isto justifica a barbárie? Logicamente não, mas as vidas daqueles inocentes também merecem o Cristo Redentor com as cores de suas bandeiras, minutos de silêncio e respeito do resto do mundo.

Não vi jornais falando quase que exclusivamente dos ataques de outubro, por exemplo, com ainda mais mortos, por quê?

Porque é muito mais chocante quando acontece com um país rico, principal aliado de outros países ricos.

Nada contra a França, muito pelo contrário, lindo país com maravilhosos seres humanos que não mereciam o que sofreram, mas que são iguais àqueles que sofrem os mesmos proporcionais ataques, por anos e anos.

Sra. Presidente, me desculpe, sei que sua intenção foi de solidariedade com a França ao dizer que somos todos franceses hoje, mas não, eu não sou francesa hoje.

Eu sou um ser humano e como ser humano pertenço ao planeta e lamento por todas as mortes inocentes que acontecem em toda parte, na maioria das vezes por ganância e que nem noticiada é, para servir aos interesses de alguns.

Eu lamento, Sra. Presidente, que aconteçam no Brasil, mortes no trânsito diariamente de maior número que em um ataque terrorista, que mais mortes aconteçam por omissão do serviço público de saúde que num ataque de fanáticos e que ainda, morram mais seres humanos por criminalidade e consequentemente, impunidade do que em muitas guerras.

Força para os seres humanos plantarem a paz, o respeito, a tolerância e a responsabilidade em todos os cantos da terra.

Será Que Estamos Vivendo Um Momento Histórico Ou Só Uma Falsa Esperança?

Uma nação exausta com escândalos de corrupção, refém de serviços e repartições públicas decadentes, escravizada por impostos altos e sem esperança no sistema político atual, é iluminada por uma luz no fim do túnel, ou melhor, várias luzes dos faróis dos caminhões.
A frase do cartaz retrata o que vivemos: praticamente tudo que possuímos ou usufruímos em bens e serviços chega de caminhão. O transporte é a ligação de tudo com todos e os dias de paralisação mostram como estes heróis da estrada são fundamentais em nossa vida.
Quando pedem por melhores condições de trabalho, estão pedindo vias decentes para todos nós que transitamos diariamente; quando pedem revisão no valor do combustível, nos disponibilizam produtos e serviços mais baratos; quando pedem valores de fretes dignos, querem dignidade para suas famílias e também as nossas, pois além de caminhoneiros são cidadãos consumidores; quando pedem segurança, é para eles, é para nós todos. 
Podemos, neste momento, com a força do “pessoal do trecho” em pistas fechadas, estarmos abrindo o caminho de mudanças tão necessárias e clamadas pelo povo. 
Chegou a hora, aquela hora que ninguém acreditava que chegaria; aquela hora que todos os revoltados com as urnas têm sua segunda chance de mudança; aquela hora para quem se arrependeu do voto; para quem mais do que quer, precisa de mudanças para trabalhar e viver dignamente.
Estamos vivendo um momento histórico?
E estamos dispostos a pagar o preço?
Eis a questão. Não se faz uma revolução plantando flores, menos ainda fechados no egoísmo que nos conduziu até aqui.
Todos terão perdas, todos terão que pagar o preço da mudança, todos terão que enfrentar com coragem, determinação e principalmente, união.
Será que chegamos neste nível de discernimento ou a classe dos transportadores estão, em vão, lutando com todas a força de seus grandes veículos e motores?
Agora, não é o que cada um quer, mas o que é melhor para todos. Outras mudanças acontecerão em consequência da mudança maior, ou seja, uma limpeza profunda na forma que nosso país está sendo conduzido. 
Penso que os condutores do país estão sem habilitação faz tempo, chegou a hora de mostrarmos, através dos motoristas de caminhão, que somos competentes e honestos o suficiente para criarmos um lugar digno, um lugar onde o trabalho e a justiça sejam o princípio do bem estar e do crescimento do nosso Brasil.
Chega de “fazer de conta”; chega do egoísmo do “para mim está bom”; chega do jeitinho brasileiro; de tirar vantagem em cargos e situações ou pior: de lavar as mãos como se não vivesse aqui.
“Não vamos desistir do Brasil”, da nossa família, do nosso lar.
Preparados? Então chegou a hora e se perdermos esta hora, não reclamemos mais e nos conformemos com a precariedade consumindo nossos dias.

Devolução de ICMS, você já pediu?

Nota Fiscal

Você conhece a iniciativa que devolve parte do ICMS que você paga?

Vários estados possuem e você pode ter algo à receber e nem sabe. Além de concorrer à prêmios que podem dar aquela ajuda no orçamento.

O Programa Nota Fiscal Paulista, por exemplo, devolve 30% do ICMS efetivamente recolhido pelo estabelecimento a seus consumidores. Ele é um incentivo para que os cidadãos que adquirem mercadorias exijam do estabelecimento comercial o documento fiscal. Os consumidores que informarem o seu CPF ou CNPJ no momento da compra poderão escolher como receber os créditos e ainda concorrerão a prêmios em dinheiro.

O cadastro é rápido e fácil através do site e se optar por depósito em conta, o prazo é de 07 dias. O valor do primeiro depósito é de R$ 25,00 – se você tiver menos que isso, terá que acumular até este valor para poder fazer o primeiro resgate.

Recebi o depósito pontualmente no sétimo dia. O sistema ainda demorou mais alguns dias para apresentar os outros valores de crédito aos quais tenho direito.

A Nota Carioca segue o mesmo estilo e o cadastro pelo site é semelhante ao de São Paulo, porém neste tive dificuldades.

Meu cadastro não foi liberado prontamente e tive que enviar um formulário autenticado para a Prefeitura do Rio de Janeiro. Enviei por carta registrada e já no dia seguinte minha senha foi liberada, mas neste estado eu só tinha R$ 0,12 em crédito.

Entre outras cidades e estados que oferecem o benefício estão: Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Rio Grande do SulSergipe, Alagoas e Rondônia.

Há também incentivo através de sorteios cadastrando os cupons ficais por torpedo em Minais Gerais, Rio de Janeiro e no Paraná.

Garimpando na internet com certeza você vai encontrar o programa em outras cidades e estados.

Lamento não haver nada assim aqui em Santa Catarina, poderiam também nos incentivar neste estado tão comercialmente forte.

Muita gente, como eu, faz compras pela internet, então não importa onde você resida, vasculhe suas notas fiscais e veja de onde vieram suas compras, quem sabe não há um dinheirinho esperando por você ou até um prêmio?

Aproveitem e boas compras!

Ação contra o FGTS

FGTS

Muito se fala nos últimos tempos sobre ações na Justiça Federal para reaver valores perdidos pelos trabalhadores em suas contas do FGTS – Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

O que ocorre é que a lei 8.036/1990 determina que o FGTS deve ser corrigido com “atualização monetária e juros”, o que não está acontecendo. O confisco na correção chega a 88,3%. Só nos últimos dois anos, houve aproximadamente 11% de perda.

Fazendo as contas, como exemplo, um trabalhador que tinha R$ 1.000,00 na conta do Fundo no ano de 1999, tem hoje R$1.340,47. Os cálculos corretos indicam que a mesma conta deveria ter R$ 2.586,44, ou seja, uma diferença de R$1.245,97. É muito dinheiro, não é?

Desta forma todo trabalhador que teve qualquer valor na sua conta do FGTS desde 1999 tem direito à revisão de seu saldo. Compete a cada interessado entrar com uma ação, seja de forma particular, ações coletivas ou promovidas por sindicatos e entidades do gênero.

Caixa

Para ter acesso a todos os seus extratos, independentemente de quantos empregos teve, no site da Caixa Econômica Federal você escolhe a opção FGTS – Consulta Online, se cadastra rapidamente e entre as opções escolhe “Extrato Completo”. O site disponibiliza também para você que está empregado atualmente, o envio do saldo por sms e você pode atualizar todos os seus dados. Além disso é possível consultar PIS e Seguro Desemprego de forma rápida e prática.

Com seus extratos em mãos, sem enfrentar filas no banco, e contando com o auxílio da Justiça Federal do Rio Grande do Sul que disponibilizou uma planilha para calcular as diferenças de correção monetária incidentes sobre as contas vinculadas do Fundo de Garantia, você mesmo pode fazer seus cálculos.

Se você tiver um pouco de conhecimento em Excel, pode baixar aqui, calcular e desta forma se a soma não passar de 60 salários mínimos, sua ação poderá ser impetrada no Juizado Especial Cível. Acima disso, deve tramitar nas Varas Federais. Junto à planilha há um manual de uso para auxiliá-lo.

Muitos trabalhadores e entidades ainda estão receosos e preferem não entrar com processos agora, aguardando qual será a resolução destes processos já impetrados. Não é uma ação fácil e que além de poder demorar, pode ter decisão nada satisfatória aos trabalhadores.

Procure sempre um profissional de confiança e aconselhe-se sobre como é melhor proceder.

No meu caso, utilizei a planilha e o valor de R$ 1.191,74 deixou de ser depositados no meu FGTS. Com tantos impostos como pagamos, não é justo perder nenhum centavo do que é nosso por direito, não é verdade?

Obs.: Alguns dados desta postagens foram publicados originalmente no Jornal Diário de São Paulo em 03/06/2013